Busca

Atualize seu Navegador Nós detectamos que você esta usando uma versão obsoleta do Internet Explorer como seu navegador web.
Para entrar no site e usufruir de todos os recursos, por favor instale uma versão mais atual do IE.
Só levara alguns minutos para completar.

O site também pode ser visto usando:

Como incluir alimentos saudáveis na rotina das crianças?

Postado em 15/06/2019

Se você não sabe mais o que fazer para que seus filhos comam de forma saudável este conteúdo é para você

 

Como não lembrar daquele famoso comercial de achocolatado, no início dos anos 2000, que apresentava um garoto fazendo escândalo no supermercado para que a mãe comprasse os famigerados brócolis? A situação gera riso justamente pela quebra de expectativa com uma criança optando por um alimento saudável ao invés de um doce ou petisco, por exemplo. Porém, saiba que é possível sim inserir itens nutritivos na dieta dos pequenos apenas com algumas mudanças de hábito.

 

Inúmeros pais e cuidadores se queixam que, não importa o que façam, não conseguem fazer os filhos comerem direito. O paladar infantil é moldado já nos primeiros anos de vida e, por isso, é fundamental que nesta fase a criança se acostume com o sabor de certos alimentos que irão auxiliar na construção de uma vida mais saudável.

 

Ok, mas o que fazer então?

Primeiro é preciso ter paciência. Estudos mostraram que é necessário que se prove de oito a dez vezes a mesma coisa para que a relação com a comida mude. Isso porque o cérebro é condicionado a ter repulsa por certos sabores e é preciso que haja uma reeducação para atestar se, de fato, a criança gosta ou não gosta de determinado alimento.

 

Inovação é outra palavra-chave na tarefa de transformar os hábitos da garotada. Caso eles não gostem de uma cenoura cortada em rodelas, por exemplo, tente fazer ralada na próxima vez. Mude o preparo com variações cozidas, assadas ou fritas do mesmo ingrediente para diversificar a textura e o sabor. Em uma destas tentativas pode ser que o paladar seja fisgado e a criança passe a amar o alimento. Decore o prato com desenhos e deixe este momento ainda mais divertido com o seguinte lembrete: quanto mais colorido, melhor.

 

Outra mudança é na ida ao supermercado. Se você quer que seu filho se alimente bem, não leve para casa produtos que você não quer que ele coma. Evite passar pelo corredor de biscoitos e doces e peça ajuda na escolha das frutas, legumes e vegetais. Fazer compras em família pode ser uma ótima oportunidade para que as crianças tenham contato direto com o que irão comer.

 

Na hora do preparo peça ajuda com pequenas tarefas como descascar ovos ou separar os ingredientes. Este ato gera conexão com o que está sendo feito, aumentando a possibilidade dos pequenos querem provar o prato que eles mesmos ajudaram a preparar.

 

É essencial criar horários fixos para as refeições com um ambiente especialmente preparado para este fim. Elimine obstáculos que possam atrapalhar a atenção como celulares, televisão ligada ou discussões desnecessárias. Sente-se junto na mesa e dê exemplo, comendo de maneira adequada e conversando sobre assuntos positivos para reforçar a importância deste momento.

 

 Caso a criança não queira comer, não force. Isso só irá gerar maior aversão ao alimento com associação negativa. Ao mesmo tempo, não “dê recompensas” caso comam direito, pois eles irão entender que comer bem é algo penoso, reforçando o entendimento de que doces são, de fato, a melhor opção.

 

Caso nada disso funcione, calma! Respeite o tempo dos seus filhos e jamais faça ameaças. Cada pessoa tem um paladar próprio e mutável ao longo da vida. Tenha paciência e não desista da importante missão de transformar a rotina dos pequenos com hábitos saudáveis e felizes.

 

Quer saber mais sobre temas de saúde e bem-estar? Então acesse os nossos conteúdos exclusivos aqui.